Pular para o conteúdo principal

Dois pesos e sempre duas medidas

Uma das grandes conquistas da esquerda foi consegui fazer distinção de atos criminosos. Muitos problemas sociais são relegados pela direita, e foi justamente nisso que a esquerda se fortaleceu e encontrou seu álibi quase perfeito para se defender dos crimes praticados por ela. A direita se perde ao governar de maneira tímida para a população mais carente, a esquerda sabe disso e se aproveita, enquanto a direita, por exemplo, não  demonstraria interesse algum em construir uma sala de cinema na periferia de alguma cidade , a esquerda o faz , agora se as obras da tal sala de cinema for superfaturada, a esquerda tem o apelo emocional perfeito para se defender, o crime foi cometido, mas foi por uma nobre causa. Isso é uma maneira errada de pensa, mas essa maneira acaba contaminando muita gente, deve-se construir salas de cinemas, teatros, mas nem por isso a motivação principal seja roubar a própria população supostamente beneficiada  por programas culturais que surgem justamente negando a cidadania.
A esquerda se comporta como dona das causas sociais, sindicatos, centrais sindicais e qualquer movimento político que atue direta ou indiretamente com as minorias, ainda consegue fazer muita gente acreditar que sem ela não há salvação. Há um processo de santificação da esquerda, ela é o caminho, verdade e a vida, qualquer outro pensamento é tido como pagão, a esquerda criminaliza qualquer forma de pensamento que não siga sua orientação.
O discurso emotivo da esquerda lhe deu salvo conduto para agir como bem entender. Quando descoberto seus crimes a culpa sempre será de um agente externo, sempre em algum lugar forças malignas estão prontas para destruir a esquerda e impedir os avanços sociais.
Lula, o maior nome da esquerda brasileira, deveria ganhar uma estátua em cada praça do país. Por quê? Porque ele acelerou o processo de podridão intelectual do país, revelou que muitos dos símbolos de honestidade e intelectualidade desse país não passam de fraudes, alguns, claro tem muito talento, mas intelectualmente são fraudes, os mesmos mesmo crimes praticados pela direita são perdoados quando praticados pela esquerda, quando questionados usam sempre a mesma estratégia intelectual: desconstroem  quem lhes puxa a máscara imputando sem pudor algum adjetivos como: golpista, fascista, homofóbicos , racista , misóginos, conservadores e claro o impagável e celebre: elite. Só esquecem-se de dizer que na esquerda há pessoas que também se comportam assim, que ser de esquerda ou direita não faz de ninguém santo, há racistas tanto na direita quanto na esquerda, talvez a direita seja mais honesta em ser o que é, afinal, a direta não se autocanoniza , a esquerda ao morrer, nem apodrece, a esquerda é pura e casta, como só os vermes o são.



Postagens mais visitadas deste blog

"A felicidade é uma arma quente”

Eu que nunca saio do meu lugar exílio, imagino como o mundo deve ser lindo. Estou tão fantasma em Santo Amaro que me considero um prisioneiro condenado a devorar-me sem piedade e pouco a pouco ir morrendo de tantas angústias que não há sol a iluminar tanta escuridão.
Você descobre que está ficando para trás quando todos da sua geração foram embora. Quando esses seus amigos voltam à cidade e você só fala com eles do passado é sinal também que a amizade já era, ficou presa em algum lugar desse mesmo passado. Nem eles e nem você cabem mais na vida um do outro.
Acostumar-se com migalhas de felicidade, com aparente segurança da rotina é um passo certo para pararmos no tempo, para voltado às pequenas coisas nos tornamos bobos de uma corte morta há tempos.
Torna-se um monumento não é bom, se isso acontece quer dizer que mesmo você estando vivo, todos vão considerá-lo morto. Tenho a impressão que a natureza só mata alguém quando esse alguém já não interfere nem para o bem nem para o mal na vida…

Carta para daqui a 50 anos

Hoje é sábado, 29 de junho de 2013, São Pedro, últimos dos santos juninos, aqui perto em São Francisco, vai ter show “grátis” do Chiclete com Banana, claro que não vou, tem gente em excesso de suposta felicidade e acho um saco tanta gente feliz junta por quase nada, não que eu seja triste, mas a minha felicidade repousa na linha do horizonte, não se resume a uma multidão insana pulando e gritando: “chicle...tê!!!! Em 2063, o maior plano é tá vivo, curtindo minha velhice e ouvindo as histórias da minha filha, ler essa carta nem que seja com uma lupa daquelas de Sherlock Holmes, talvez olhe para uma foto minha de hoje e diga: elementar, meu caro, tudo no fim deu certo. Não pense, eu de hoje, que meu sonho é só envelhecer, há o recheio, como de um sanduíche que comi certa vez e daria para alimentar um uma fila inteirinha de pau de arara, pau de arara eram caminhões que certamente devem ter levado muita gente minha para São Paulo, gente que por lá trabalhou duro e morreu da mais profunda…

Como é viver com ódio?

A internet parece ter sido transformada na vitrine do ódio. Sempre encontro bons vídeos e sites na internet com conteúdo interessante e instrutivo, mas esses sites e vídeos têm baixíssimas visualizações, por outro lado sites e vídeos com conteúdo de ódio ou violência têm milhares de acessos. Canais de políticos que não tem nada de proativo ou ideias criativas e práticas, mas explodem de ódio batem recordes de seguidores que expõe ódio, violência verbal e ameaças.   Parece ser um estado permanente de ódio, seja religioso, sexual, político ou cultural, nada escapa ao ódio. Algumas manifestações de ódio são abertas ou diretas, outras são disfarçadas de altruístas, mas todas têm como objetivo neutralizar qualquer voz dissonante dos que esses furiosos ambidestros pretendem. No mundo da violência emocional odeia-se por um único motivo: não há no mundo espaço para concepções socais diferentes das quais a ambidestra cavaleira do ódio defende.   O ódio emburrece, torna bruto corações e mentes…