A espetacularização do Aedes aegypti

Ediney Santana
Mortes, microcefalia, internações e hospitais lotados que pouco podem fazer para atender quem procurar alívio das dores e todas as perturbações causadas pelo mosquito da dengue, vulgo, Aedes aegypti. O motivo da proliferação do mosquito todo mundo já sabe: pessoas descuidadas que insistem em manter em suas casas criadouros do mosquito e o governo que não consegue sanear o país.
A presidente Dilma criou o dia “D” de combate ao mosquito, até aí tudo bem, mas o dia “D” tá mais para espetáculo político que uma ação de combate ao mosquito e as causas de proliferação do dito cujo. Reuniões com ministros, exército nas ruas, discursos da presidente, e algo no mínimo bizarro, enviar para os estados no tal dia “D” alguns ministros, se não todos. Só falta colocá-los para guiar os carros fumacês, seria uma boa ideia, essa gente vive com reis e rainhas aqui em Brasília, nada mais justo que eles trabalhassem um pouco para justificar seus salários e mordomias.
Se a presidente mostrasse essa preocupação com a saúde, com saneamento básico desde que chegou ao poder juntamente com seu mentor, o presidente Lula, as coisas certamente não chegariam neste ponto. A questão é que a presidente Dilma precisa de uma agenda positiva, tem que se agarrar nesta agenda para salvar o seu mandato.
Nem os petistas se entusiasmam mais pela “mãe do PAC”, “coração valente”, Dilma não teve coragem de romper com Lula, poderia chamar a nação e passar o país a limpo, não só nos livrando dos lulas, mas de fhcs, de pmdbs e todos que orbitam essas luas podres, mas Dilma preferiu ser uma Amélia do poder, dizer sim ao seu senhor.
Só espero que Dilma não apareça vestida de mosquito da Dengue fazendo palestra para crianças em escola de periferia nas quais o esgoto corre na porta da frente. Não duvido de nada, mas é muito triste que um momento tão grave de saúde pública os governantes não coloquem seus pés no chão ou lembrem que são humanos e enfrentem a questão com coragem e assumam que também são responsáveis por tudo isso, porque nem eu e nem você acreditamos mais que só nas casas das pessoas é que nascem mosquitos, nascem sim, mas nascem também do vazio governamental do país.

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys