Pular para o conteúdo principal

O doce envelhecer de Maria Bethânia

Em um tempo em que o corpo vai se artificializando na busca ensandecida pelo que se acredita ser beleza e juventude, Maria Bethânia surge com seus longos cabelos embranquecidos , alma  leve e sem maquiagem. Seu tempo de vida é intensidade vibrante de quem sabe que a alegria de viver não se mostra tão somente por fora, mas se revela com intensa paixão por dentro, é a força água nascente em corrente livre pela simples e inquieta alegria de fazer do seu tempo, tempo de vida.
Maria Bethânia vive intensamente seus elegantes anos, como são elegantes os que não caem em sombrias tardes cheias de fantasmas saudosistas, o que passou passou, todos os dias é dia de vida, é dia de reencontro, renascemos e nunca morremos, a morte de todos os dias é a alegria da natureza nos chamando para a urgência calma de estarmos em paz com quem somos.Por isso Bethânia convida  Edithe Piaf para festa  e canta para si e seus pares: non je ne regrette rien!
O envelhecer de Maria Bethânia é doce como é doce seu prazer de no palco viver instantes intensos, envelhecer é não se desesperar pelo tempo que passou, mas sorrir por todo tempo que se ganha, porque tempo sempre ganhamos e nunca perdemos, o segredo da felicidade é não ter segredo, viver,caminhar para o tempo sempre presente.
Encanta-me a dona dos cabelos elegantes que se faz sensual sem nunca ter desejado ser sensual, se faz linda sem nunca ter perseguido a beleza, alegre sem ser fácil riso. A força da vida é não recuar para logo adiante encontra sucesso e felicidade. Quando Maria Bethânia foi ao Rio de Janeiro cantar pela primeira vez poderia ter cantado uma música de amor, uma valsa, um alegre samba, mas não, ela cantou uma canção que dizia da dor da sua gente nordestina, sofredora e abandonada pelo Brasil, chegou chegando dizendo que dentro de si havia vida e certeza que não se recuar para logo ali ter alguma vantagem, é tudo ou tudo, só os fracos recuam, não existe ser feliz pela metade, amar pela metade, amigos pela metade. Beleza e juventude é tudo aquilo que guardam nos nossos olhos a alegria pelo tempo de estarmos vivos, velhice e viver o hoje correndo atrás do ontem, sejamos belos enquanto sentimos intensamente a paixão de estarmos aqui, a vida se resume na vida e não na morte.
Digo aos meus primeiros fios de cabelos brancos: sejam bem vindos, me levem para esse novo momento, sejam bem vindos contem histórias comigo, digo aos meus primeiros fios de cabelos brancos : tragam novos amigos, amores, paixões, novos trabalhos, tragam a paz de estarmos bem, digo aos meus primeiros fios de cabelos brancos: como é bom ter vivido para para abraçar vocês, vamos ao bar, a missa, ao culto, a praia, vamos ao tempo bom de amar.
Às vezes aqui em Brasília caminho pelo Setor Militar ao pôr-do-sol, caminho firme em direção a Esplanada, levo comigo a alegria de envelhecer calmo e tranquilo, lembro de Santo Amaro, do que de melhor há nela, da força produtiva das marisqueiras, das mulheres que trabalham na limpeza pública e nunca desanimam; coloco no celular Maria Bethânia cantando Non, Je Ne Regrette Rien e meus passos ficam mais firmes, porque sempre é preciso começar do zero, não esperar em hipóteses algum alguém colocar na frente do meu zero algum outro número, eu mesmo coloco e os retiro. Não se arrepender de nada, abraçar a alegria de sermos quem somos, porque tudo quem somos é fruto das nossas próprias forças somadas nestas horas que a natureza nos deu e chamamos de vida.
Um dia meu amigo Gerado Salles me disse: “é preciso deixar que as pessoas sintam saudades de você”. Sim , é preciso não afogar ninguém com nossa overdose de presença. Sigo caminhando ao pôr-do-sol porque o céu de Brasília em si é a perfeita tradução do encanto, passa por mim uma pessoa que me lembra outro amigo, João Rodrigues Lima, todos meus amigos estão aqui ao cair da tarde. Bethânia canta, sigo meu caminho dizendo sejam bem vindos meus cabelos bancos, não vou pintar vocês, não vou viver uma juventude artificial, porque vivi intensamente meus dias de juventude...Minha vida, meus amores...Hoje começam com vocês.
http://edineysantana2.blogspot.com
http://livrosdeedineysantana.blogspot.com


http://edineysantana.zip.net

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Jantar e crime

Na delação: “em um jantar acertamos o valor da propina”. Quantos crimes são articulados em mesas fartas e jantares de luxo? Ou melhor, em palácios? É mórbido e tragicamente irônico que pessoas sentam-se em uma mesa cheia de comida para acertar crimes que vão levar à fome e morte tantas outras pessoas. Nos últimos dias, com o avançar da Operação Lava Jato e as delações premiadas, tomamos consciência da naturalidade a qual crimes são articulados, como pessoas sem sentimento algum, roubam e matam com se estivessem apenas trocando ideias entre amigos e parentes sentados em uma mesa. Paralelo a comilança criminosa, esses mesmos agentes do Estado tramam reformas administrativas que vão impactar a vida dessas mesmas pessoas já roubadas por eles. É preciso, sim, diminuir os gastos públicos, mas não se pode sacrificar quem já não tem quase nada. Nossa saúde e segurança pública são máquinas de triturar gente, gente pobre e tempere isso com o absurdo da reforma da previdência que iguala pela pe…