Pular para o conteúdo principal

Gentileza e aprendizado

Ediney Santana
A primeira lição que deveríamos aprender é: gentileza. Ser gentil não é se anular diante do outro, você pode ser firme na defesa das suas posições sem ser agressivo, pode dizer o que pensa sem cair na tentação de calar a voz do outro. Ser gentil é entender que há uma fronteira entre eu e meu interlocutor e que essa fronteira deve ser preservada. Pensar diferente não me faz senhor da verdade; o país vive tempos de intolerância e verborragia, a gentileza seria o melhor partido para um país que clama por justiça.
Quando se aprende uma língua estrangeira deixamos nosso universo cultural para interagirmos com outro, aprendemos que em inglês, por exemplo, devemos ser econômicos ao falarmos, aprendemos a escolher as palavras com muito cuidado, temos zelo com nosso interlocutor. Aprender outra língua é reavaliar nossa condição de pessoas e de como vivenciamos o mundo, ao aprender outra língua convidamos milhares de pessoas para uma gostosa roda de conversa universal.
Quanto mais aprendo mais devo ser mais tolerante. O conhecimento nos liberta de instintos primitivos, quanto mais entendo as razões de outra pessoa, mais devo me entender também, conhecimento nos conecta primeiramente com o que de melhor temos, depois com o respeito, tolerância e civilidade, por isso não se deve confundir conhecimento com informação, um dicionário é só uma coleção de palavras que só ganham significados com o conhecimento que todos nós temos de signo linguístico.
Aprendo coisas novas para me renovar, construir, ser ponte, ação positiva na vida, quero me fazer entender e entender o mundo a minha volta.
Aprendemos uma nova língua para estreitar laços, em qualquer canto do mundo que esteja, uma coisa você nunca vai deixar de ser: gente. A língua nos aproxima, porque só faz sentido aprender outra língua se for para ser ponte e nunca muralha.
Minha língua portuguesa é o traço cultural mais forte que tenho, foi com ela que aprendi pela primeira vez o significado de ser e estar no mundo, foi com ela que aprendi a dimensão do “eu”, mas posso também com muita determinação e coragem projetar meu “eu” em outras línguas, posso estar no mundo de muitas maneiras, ao aprender outra língua me renovo enquanto pessoa, aceito o desafio de me definir em outro idioma, muito mais do que uma questão de trabalho ou estudo, aprender outra língua me faz capaz de ressignificar minha existência sem, no entanto, matar em mim aquele “eu” primeiro, porque foi ele quem me levou a buscar da vida outros desafios.
A gentileza somada ao processo de constante aprendizado me faz uma pessoa melhor. A vida não se resume à urgência das nossas expectativas, todos os dias ganhamos uma nova vida, todos os dias temos a possibilidade de fazer do mundo um lugar melhor. Esteja em paz e até a próxima.
http://poesiaeguerra.blogspot.com.br


Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Jantar e crime

Na delação: “em um jantar acertamos o valor da propina”. Quantos crimes são articulados em mesas fartas e jantares de luxo? Ou melhor, em palácios? É mórbido e tragicamente irônico que pessoas sentam-se em uma mesa cheia de comida para acertar crimes que vão levar à fome e morte tantas outras pessoas. Nos últimos dias, com o avançar da Operação Lava Jato e as delações premiadas, tomamos consciência da naturalidade a qual crimes são articulados, como pessoas sem sentimento algum, roubam e matam com se estivessem apenas trocando ideias entre amigos e parentes sentados em uma mesa. Paralelo a comilança criminosa, esses mesmos agentes do Estado tramam reformas administrativas que vão impactar a vida dessas mesmas pessoas já roubadas por eles. É preciso, sim, diminuir os gastos públicos, mas não se pode sacrificar quem já não tem quase nada. Nossa saúde e segurança pública são máquinas de triturar gente, gente pobre e tempere isso com o absurdo da reforma da previdência que iguala pela pe…