Eleições e o seu voto?

Ediney Santana
Nunca foi tão fácil votar em alguém neste país. Nestas eleições a escolha do candidato certo não se baseia em partido ou suposta ideologia que dizem defender, porque há muito tanto faz o partido. O perigo da dor pós-eleição é bandeira secreta de todos, o que difere mesmo são os rebeldes políticos, aquelas personalidades que infelizmente precisam de um partido para concorrerem nas eleições. Mas como escolher com certa segurança um candidato?
Eu faço a seguinte equação: teor de ódio nos discursos dos candidatos e da sua militância (se a militância é agressiva, adepta de discursos de ódio e o candidato não se manifesta contra é porque sua militância é porta-voz das desgraças secretas que ele guarda no coração) + discurso de honestidade (quem é honesto não precisa fazer disso  bandeira) + quem financia a campanha? + quanto mais carros de som, quanto mais mobilização em redes sociais, quanto mais militantes mais algo ta errado, quanto mais dinheiro , mais caixa 3,4,5... + desonestidade intelectual + xenofobia (essa história de “candidato da minha terra”, “nosso sangue”, “nossa gente é quem nasceu aqui”, “a cidade para os que nasceram nela” é tão somente crime, crime de xenofobia) + manipulação dos fatos + manipulação da justiça + constrangimento emocional= crime.
A conta desse crime quem paga somos todos nós, você vota em um prefeito e elege organizações criminosas. Por tanto, faça esse exercício: pergunte. Viu carros plotados? Pergunte quem pagou pela plotagem, muitos santinhos? Pergunte quem pagou? Comitê? Pergunte quem paga as contas?carreatas? Pergunte quem paga a gasolina dos carros? Pergunte tudo, pergunte quem paga os seguranças, quem paga?
Não se iluda, quem menos elege políticos é o povo, não estou dizendo que há fraudes nas urnas eletrônica, nada disso, estou dizendo, que há fraudes econômicas, emocional, manipulação intelectual, indução, chantagem e todo os tipos de crime emocionais e econômicos.  Fique esperto, é sua vida e de sua família que você tem o dever de defender.



Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys