Pular para o conteúdo principal

A onda da mediocridade

Foto: Renata Madureira 
Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que alimenta essa gente, o desejo do poder .
Sinta-se bem com sua consciência, não importa de que lado você esteja, mas esteja porque foi uma tomada de decisão sua, não tenha vergonha de votar em um candidato que aparentemente não vai vencer, pesquisas são usadas não para nos informar, mas para manipular, fazem você sentir vergonha das suas decisões. 
Sabe quando você está com amigos e todos tiram dos bolsos celulares muito caros e você tem um antigo e fica com vergonha? Pois é , essa sua vergonha de não fazer parte do grupo dos que tem um celular caro foi plantada nas suas emoções pela propaganda, o mesmo acontece na política.Por isso a ideia de "onda", se você ta fora das tais ondas começa a sentir vergonha, em todos lugares sempre vai encontrar pessoas preparadas para fazer você se sentir péssimo, eles têm bons argumentos, bons argumentos recheados de falácias e retóricas cretinas, mas que tem um enorme poder quando estamos descrentes do nosso país e de nós mesmos e fazem de tudo para te convencer até você entrar para a " onda", como um boi vai para o matadouro, com uma diferença, muitos bois ao perceberam a morte, choram, mas você vai sorrindo se afogar na sua onda azul ou vermelha. 
Tenha cuidado nestas eleições, não seja tolo, não se permita ser manipulado, questione, pergunte. Um candidato sincero responde mais perguntas que grita mentiras em um palanque, e mais uma coisa: se tiver ódio, não tem amor,então preste a atenção em quem segue seu candidato, quanto mais ódio e brigas há na militância, mas mentiras há no candidato, não queria ser liderado, seja você mesmo seu líder, sua esperança, sua alegria e o amor da sua vida.Escrevo isso porque eu mesmo já me afoguei em “ondas” políticas, acreditava que estava fazendo parte de um grande momento, mas não passei de um tolo fisgado pelas minhas emoções e fé sem preconceito por este país. Aprendi com a dor e solidão que o maior movimento começa aqui, dentro de cada um quando não nos assustamos com nossas duvidas, mas sim com nossas certezas.
http://poesiaeguerra.blogspot.com.br
http://livrosdeedineysantana.blogspot.com




Postagens mais visitadas deste blog

"A felicidade é uma arma quente”

Eu que nunca saio do meu lugar exílio, imagino como o mundo deve ser lindo. Estou tão fantasma em Santo Amaro que me considero um prisioneiro condenado a devorar-me sem piedade e pouco a pouco ir morrendo de tantas angústias que não há sol a iluminar tanta escuridão.
Você descobre que está ficando para trás quando todos da sua geração foram embora. Quando esses seus amigos voltam à cidade e você só fala com eles do passado é sinal também que a amizade já era, ficou presa em algum lugar desse mesmo passado. Nem eles e nem você cabem mais na vida um do outro.
Acostumar-se com migalhas de felicidade, com aparente segurança da rotina é um passo certo para pararmos no tempo, para voltado às pequenas coisas nos tornamos bobos de uma corte morta há tempos.
Torna-se um monumento não é bom, se isso acontece quer dizer que mesmo você estando vivo, todos vão considerá-lo morto. Tenho a impressão que a natureza só mata alguém quando esse alguém já não interfere nem para o bem nem para o mal na vida…

Carta para daqui a 50 anos

Hoje é sábado, 29 de junho de 2013, São Pedro, últimos dos santos juninos, aqui perto em São Francisco, vai ter show “grátis” do Chiclete com Banana, claro que não vou, tem gente em excesso de suposta felicidade e acho um saco tanta gente feliz junta por quase nada, não que eu seja triste, mas a minha felicidade repousa na linha do horizonte, não se resume a uma multidão insana pulando e gritando: “chicle...tê!!!! Em 2063, o maior plano é tá vivo, curtindo minha velhice e ouvindo as histórias da minha filha, ler essa carta nem que seja com uma lupa daquelas de Sherlock Holmes, talvez olhe para uma foto minha de hoje e diga: elementar, meu caro, tudo no fim deu certo. Não pense, eu de hoje, que meu sonho é só envelhecer, há o recheio, como de um sanduíche que comi certa vez e daria para alimentar um uma fila inteirinha de pau de arara, pau de arara eram caminhões que certamente devem ter levado muita gente minha para São Paulo, gente que por lá trabalhou duro e morreu da mais profunda…

Como é viver com ódio?

A internet parece ter sido transformada na vitrine do ódio. Sempre encontro bons vídeos e sites na internet com conteúdo interessante e instrutivo, mas esses sites e vídeos têm baixíssimas visualizações, por outro lado sites e vídeos com conteúdo de ódio ou violência têm milhares de acessos. Canais de políticos que não tem nada de proativo ou ideias criativas e práticas, mas explodem de ódio batem recordes de seguidores que expõe ódio, violência verbal e ameaças.   Parece ser um estado permanente de ódio, seja religioso, sexual, político ou cultural, nada escapa ao ódio. Algumas manifestações de ódio são abertas ou diretas, outras são disfarçadas de altruístas, mas todas têm como objetivo neutralizar qualquer voz dissonante dos que esses furiosos ambidestros pretendem. No mundo da violência emocional odeia-se por um único motivo: não há no mundo espaço para concepções socais diferentes das quais a ambidestra cavaleira do ódio defende.   O ódio emburrece, torna bruto corações e mentes…