Sou grato

Sou grato ao povo trabalhador deste país que financiou meus estudos. Enquanto estava apenas estudando na universidade, milhões de brasileiros honestos e descentes trabalhavam, pagam impostos para financiar meus estudos, sou grato a todos os aposentados, trabalharam duro, contribuíram para previdência social para que um dia eu também some meus anos de trabalho aos deles e me aposente. Não confundo Brasil, país e nação, com o Brasil Estado tomado de assalto por criminosos, mas também sou grato aos bons políticos que temos, que lutaram para preservação de direitos, que criam leis que deram a milhões de brasileiros direitos civis, que lutam todos os dias para fazer dessa nação uma nação melhor. Não a nada de errado em agradecer aos bons políticos, eles foram eleitos por bons brasileiros que eu nem sei quem são, bons brasileiros escolhem bons políticos.
Sou grato aos milhares de artistas – educadores populares que sem apoio governamental algum educa e cuida de tantas pessoas, sou grato aos artistas que não vivem a sombra do dinheiro público e mesmo assim produzem artes, preservam nosso patrimônio cultural e nos faz acreditar sempre neste país.
Sou grato aos bravos médicos que atuam em postos de saúde e hospitais públicos, muitas das vezes fazem milagres para salvar vidas, mesmo em condições  ruins de trabalham não abandonam a vanguarda pela vida. Sou grato aos bons polícias pela dignidade com que exercem uma das profissões mais difíceis que se tem notícia, sou grato aos grupos evangélicos, católicos, espíritas e todos os grupos religiosos que pela madrugada enfrentam frio e violência para levarem comida, cobertores ou uma palavra amiga aos moradores de rua, aos que não tem mais nada.
Sou grato os bons brasileiros, honestos, não sonegadores de impostos, não racistas, separatistas, xenófobos que nos enchem de orgulho em atos heroicos anônimos. Sou grato aos garis e suas batalhas diárias das quais dependem nossa saúde, sou grato os bons comerciantes que cobram preços justos e não mentem ou enganam seus clientes.
Somos um país com muitos problemas, muitos desses problemas nascem da política, do voto errado e principalmente do voto insistentemente errado, nascem do desprezo que parte da classe média tem por nossa gente e nossa cultura, pelo ódio que uma região do país sente por outra, pela divisão do povo na seara dos estúpidos. Se quisermos um Brasil melhor agora, é agora que devemos avançar, não podemos mais aceitar planejamentos em longo prazo, queremos agora a reformulação de leis, reforma tributária, judiciária, administrativa e política tudo isso com intensa participação popular. Todas essas reformas se pressionarmos o Estado pode ser feita em um prazo de dois anos, não podemos permitir que teocratas, burocratas, corações ciciados no poder e essa classe política mesquinha ditem as regras para nossas vidas, não podemos permitir que o Estado regulamente nossas decisões individuais, mas podemos cobrar que o Estado seja Estado e não esse ajuntamento canalha de ideologias parasitas.


Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys