Pular para o conteúdo principal

O Dia do juízo final para Brasileiros

Ediney Santana
Deus:

- Que entre os brasileiros.

Representante dos brasileiros pede a palavra e diz:

- Altíssimo senhor, onipotente, onipresente, onisciente, reis dos reis, senhor dos senhores!!

- Chega! Gritou Deus. Vá logo ao assunto!!

- Milhões de brasileiros foram condenados ao inferno por vossa bondade e isso não é justo, sempre fomos crentes da vossa misericórdia.

- Blasfemadores, minha bondade não condena pessoa alguma, seus atos é que são condenatórios, não me colocam no mesmo nível da baixeza de suas vidas. Roubaram em meu nome, manipularam pessoas em meu nome, transformaram igrejas em agiotas da fé, chantagearam em meu nome, me transformaram em um Deus de ódio e vingança com o intuito de extorquir corações inocentes.Fizeram sexo com crianças,  humilharam idosos, bateram em mulheres.


- Mas, mas senhor das tempestades, mas...

- Cale a boca!!! O Brasil era o novo jardim do Éden, e o que fizeram com ele? Transformaram em um matadouro, carnificina pior que qualquer guerra, destruíram lagos e rios, transformaram florestas em desertos, mesmo com tantos alimentos milhões morreram de fome , reafirmaram racismo e xenofobia. Vocês são a vergonha da raça humana.


- Misericordioso Deus, desculpe, nem todos brasileiros são assim.

- Verdade, eu sei, esses que não são assim penaram, foram ridicularizados, a justiça de vocês zombou deles, foram reféns do lixo de vida que vocês criaram. Esses bons brasileiros estarão no paraíso comigo. Eles não usaram a religião para enriquecimento, não manipularam em meu nome, não usaram a política para roubar e matar, não foram gananciosos, sofreram muito, são criaturas do bem, não abandonam o país, mas vocês irão para o fogo eterno.


- Deus de bondade!!!

- Canalha, cadê a valentia? Vocês usaram de pistoleiros para matar inocentes, foram violentos com os fracos, usaram da autoridade para criar o terror, nas suas mesas fartas nunca se preocuparam com os que passavam fome, morriam nas portas dos hospitais, viviam do lixo colhido nas ruas. Não os matarei, não sou assassino, mas os condenarei ao lago de fogo, queimarão eternamente e sentiram dores terríveis.


- Senhor piedade!!!

- Piedade tenho dos que morreram por falta de médicos, vocês roubaram o dinheiro da saúde. Egoístas, comiam mais que podiam, vaidosos, se sentiam superiores. Estacionavam em fila dupla, ultrapassavam em faixa continua, bebiam e dirigiram provocando a morte de inocentes, criaram grupos de extermínios, jogavam lixo nas ruas, inventavam obras públicas para roubar o povo. Ganhavam super salários enquanto o povo passava fome. Ao lago de fogo eterno, refugos da raça humana.

- Piedade!!!!!!!!!!!!!

- Inocentavam bandidos e condenavam inocentes, queimaram pessoas nas ruas, usaram a política para roubarem o dinheiro do povo, usavam o medo para aumentar o próprio poder, usaram de movimentos sociais para mentir e enganar o povo, usaram de jornais e internet para espalhar mentiras, construíram mansões enquanto milhões viviam em favelas,  racistas de todas as cores. Que se cumpra a justiça Já e por toda eternidade.

http://livrosdeedineysantana.blogspot.com

http://edineysantana.blogspot.com


    

  

Postagens mais visitadas deste blog

"A felicidade é uma arma quente”

Eu que nunca saio do meu lugar exílio, imagino como o mundo deve ser lindo. Estou tão fantasma em Santo Amaro que me considero um prisioneiro condenado a devorar-me sem piedade e pouco a pouco ir morrendo de tantas angústias que não há sol a iluminar tanta escuridão.
Você descobre que está ficando para trás quando todos da sua geração foram embora. Quando esses seus amigos voltam à cidade e você só fala com eles do passado é sinal também que a amizade já era, ficou presa em algum lugar desse mesmo passado. Nem eles e nem você cabem mais na vida um do outro.
Acostumar-se com migalhas de felicidade, com aparente segurança da rotina é um passo certo para pararmos no tempo, para voltado às pequenas coisas nos tornamos bobos de uma corte morta há tempos.
Torna-se um monumento não é bom, se isso acontece quer dizer que mesmo você estando vivo, todos vão considerá-lo morto. Tenho a impressão que a natureza só mata alguém quando esse alguém já não interfere nem para o bem nem para o mal na vida…

Carta para daqui a 50 anos

Hoje é sábado, 29 de junho de 2013, São Pedro, últimos dos santos juninos, aqui perto em São Francisco, vai ter show “grátis” do Chiclete com Banana, claro que não vou, tem gente em excesso de suposta felicidade e acho um saco tanta gente feliz junta por quase nada, não que eu seja triste, mas a minha felicidade repousa na linha do horizonte, não se resume a uma multidão insana pulando e gritando: “chicle...tê!!!! Em 2063, o maior plano é tá vivo, curtindo minha velhice e ouvindo as histórias da minha filha, ler essa carta nem que seja com uma lupa daquelas de Sherlock Holmes, talvez olhe para uma foto minha de hoje e diga: elementar, meu caro, tudo no fim deu certo. Não pense, eu de hoje, que meu sonho é só envelhecer, há o recheio, como de um sanduíche que comi certa vez e daria para alimentar um uma fila inteirinha de pau de arara, pau de arara eram caminhões que certamente devem ter levado muita gente minha para São Paulo, gente que por lá trabalhou duro e morreu da mais profunda…

Como é viver com ódio?

A internet parece ter sido transformada na vitrine do ódio. Sempre encontro bons vídeos e sites na internet com conteúdo interessante e instrutivo, mas esses sites e vídeos têm baixíssimas visualizações, por outro lado sites e vídeos com conteúdo de ódio ou violência têm milhares de acessos. Canais de políticos que não tem nada de proativo ou ideias criativas e práticas, mas explodem de ódio batem recordes de seguidores que expõe ódio, violência verbal e ameaças.   Parece ser um estado permanente de ódio, seja religioso, sexual, político ou cultural, nada escapa ao ódio. Algumas manifestações de ódio são abertas ou diretas, outras são disfarçadas de altruístas, mas todas têm como objetivo neutralizar qualquer voz dissonante dos que esses furiosos ambidestros pretendem. No mundo da violência emocional odeia-se por um único motivo: não há no mundo espaço para concepções socais diferentes das quais a ambidestra cavaleira do ódio defende.   O ódio emburrece, torna bruto corações e mentes…